BANDA PELO MENOS

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Poderes da terra!

Poderes da terra!

Você fez o silêncio
Vem como oração da manhã
Mas logo chegou a noite
Por que calou?


Sumiu sem permissão...
Minha boa gloriosa princesa
Eu saberia descrever o fim

Vinha do nascimento de um novo ser

Inocente feito anjo
Tomemos a música para o acalento
O acalento do anjo
Temos a poesia para o momento


O momento do anjo
Temos a alegria, escondida
do dia e da noite
Alegria da terra.


Por onde anda a paixão?
Criaturas fictícias tão reais
Você, eu e os anjos.
Amor de olhar


Querendo a ousadia
Querendo a magia
Para falar de sua grandeza
A falta dos seus cheiros


Cheiro de terra
Hoje sinto falta, ontem também
Quando a paranóia se afunda em planto d’água e lagrima feito chuva e a maré que enche e esvazia ao ciclo da lua.


Conheço sua força, 

dela você faz ciência e estilo de vida.

Escrito em 10 de junho de 2012, por Orlando Oliveira.


LUMA, EUGÊNIA, NADIA E ANA RITA
MOQUECA DE CAMARÃO
EUGÊNIA, SOCORRO, SUELY E LANDO



SID O MELHOR SANFONEIRO DE SERGIPE



Nenhum comentário:

Postar um comentário