BANDA PELO MENOS

sábado, 29 de dezembro de 2012

ORLANDO DA BANDA PELO MENOS

ORLANDO DA BANDA PELO MENOS
Aracaju/SE - Brasil, 50 anos          
307 textos (10760 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 29/12/12 21:26)

Carlos Drummond de Andrade e o andarilho!

Carlos Drummond de Andrade e o andarilho!

De que se alimenta o poeta?
Em minha frente observo uma cena onde Carlos Drummond de Andrade escuta pacientemente um andarilho. Com muita concentração e respeito por Drummond o andarilho aponta seu dedo indicador gesticulando algumas palavras.
Drummond com suas pernas cruzadas sério e seu óculo firme e imóvel tem todo tempo do mundo a ouvi-los.
Será que essa sena já foi vivida por Drummond? Será que foi conversando com pessoas menos favorecidas, sem nem um intelecto que Drummond em seus estudos construía sua obra? O contraste do intelecto com o ignorante se dava na mais alta harmonia, parecia se entenderem ao pondo de Drummond admirar lá do céu.
Gosto de pensamentos e de tentar entender o contesto harmoniosamente arranjado, que no fingimento poético o que vale é a poesia.
Logo o senhor andarilho de pés descalço, com uma fita amarrada em um dos pés, vestindo calção com listras laterais e uma camisa de propaganda do PT com uma estrela vermelha em um dos ombro.
Já Drummond com seu terno de linho branco fazia pouca causa dessa situação.
Ao fundo o mar, azul de parar qual quer um para admirá-lo. Um casal a se banhar de mãos dadas. Namorando sem se dar conta do cenário de que os vigiava. Isso tudo mais ou menos meio dia.
Sentados ao banco do calçadão, Drummond e o andarilho segue com sua prosa, um em total silencio e o outro se dando a oportunidade de debater sua opinião, sem nem um constrangimento de sentar ao lado de uma celebridade e desencadear uma conversa, quase que de pé de orelhas.
Nada do outro mundo se não fosse interessante o registro dessa cena.
Tava me esquecendo do saco ao lado do senhor andarilho, nele carregava toda sua história.
“As academias coroam com igual zelo o talento e a ausência dele”.Carlos Drummond de Andrde                
 “Não é fácil ter paciência diante dos que têm excesso de paciência.”Carlos Drummond de Andrde.
Por fim se trata de uma foto de ser homenageada só pela ocasião.
Deleito-me desse cetim de letras...
Que de nada e de poesia minha mente se alimenta até observar uma foto em que uma estatua de bronze de Carlos Drummond e um andarilho.

Escrito em 13 de dezembro de 2012, por Orlando Oliveira.

IGREJA NO SÍTIO DO PAI DE DIEGO E ARTUR
LINDA POR DENTRO

A NATURESA É LINDA
O SOL, O VERDE E A FLOR
O SORRISO DE UMA ESTRELA
O CHARME DE UMA PROMESSA
A ELEGÂNCIA DE ANA LUA
O SORRISO DESCONTRAIDO DE UMA CABLOCA LINDA
PURO CHARME DE EUG~ENIA
O SORRISO COMBINANDO COM OS OCULOS
A DONA DA CORAAGEM E DISPOSIÇÃO, DONA DILZA
LANDO CANTANDO SUA MUSICA MENINA MULHER
LANDINHO MOSTRANDO SEU TALENTO
IRMÃO DE DIEGO
SR RAIMUNDO PAI DE DIEGO
CAJU COLHIDO E DEGUSTADO COM UMA DOSE DA BRANQUINHA
OLHA AI A PROVA, UMA DELÍCIA

ARTUR COLHENDO OUTRO CAJU
O NAMORO SE REPETINDO, PRIMEIRO COM A MÃE TALLITA, DEPOIS COM A FILHA MALLU
TATIANE E SEU CHARME





                                                        COMBINAÇÃO

 Combinação perfeita da poetisa e o oceano e com     isso  quem ganha somos nós que de poesia degusta o mar do prazer.
 Cá com meus botões...  Eu imagino mil coisas antes mesmo de  ultrapassar as nuvens, estando nas estrelas só me recordo do brilho do teu olhar.

Escrito em 16 de dezembro por Orlando Oliveira.
                        Comentários

27/12/2012 13:30 - Lianatins
Belissimo seu conto amigo poeta Orlando, é sempre um prazer ler-te! Nossa alma se alimenta dos poemas que lemos...Alimento-me sempre dos teus e, mesmo ao longe, participo do teu banquete, entre deuses, os deuses das palavras...Como sempre encantando-nos com a beleza que advém das suas palavras; que o novo ano que vai se iniciar, possamos viver intensamente cada momento com muita paz e esperança, pois a vida é uma dádiva e cada instante é uma benção de Deus...Belo dia desejo,da Liana.

27/12/2012 12:52 - Jacó Filho
Estátuas de celebreidades nos induzem a querer vira pedra e ser na memória alheia, o sucesso que jamais tivemos... Excelente seu conto! Parabéns! Que 2013 seja irretocável sob seu ponto de vista... E que Deus nos abençoe e nos ilumine... Sempre...

27/12/2012 10:51 - Teca
Deliciosa leitura!!! Parabens!!

27/12/2012 01:59 - Maurilio Gabaldi Lopes
Espetacular nobre poeta,meus aplausos!Desejo a você um maravilhoso 2013!Abraços de luz!

26/12/2012 21:52 - jcoelho
Parabéns amigo Orlando, lindo demais, um forte abraço e Deus nos abençoe. feliz 2013.

26/12/2012 19:10 - ORLANDO DA BANDA PELO MENOS
Meu jovem poeta Geraldinho do Engenho, obrigado pelo carinho que me tens, mas confesso que nem sei escrever, pois meus textos passam além da correção do word a outros mestres do português. Um amigo mim disse que corrigir texto tem muitos que sabem criá-los não. Longe de mim a comparação com o grande mestre o nosso eterno Drummond, mas agradeço o carinho que sempre me dedicas. Um 2013 de muitas alegrias, abraço poético do AMIGO DA POESIA ORLANDO.

26/12/2012 17:52 - geraldinho do engenho
E copletando a harmoniosa sena poética no diálogo ou seja no monologo entre o sábio e louco andarilho,o testemunho de outro grande poéta nordestino tão nobre como o mineiro de Itabira Drumont de Andrade....Orlando ao se encantar com a sena e a paisagem a descereveu poeticamente numa perfeita e bela cronica homegeando o grande vulto da literatura brasileira!Parabémns meu grande amigo e um feliz 2013!

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

UM NOVO SOL

Um novo sol!

Conheço teu calor
Conheço teu amor
Conheço tua boca
Conheço teu sorriso
Conheço teu suor
O abraço que arrepia
Da saudade que não mata,
mas corroí feito maresia.
Feliz é aquele que tem consigo o dom da paciência
Pois o simplesmente esperar é uma prova de amor
Que é recompensado com o carinho do amor verdadeiro
Da paixão que alimenta a falta
Do fogo que nada apaga
Nem a tempestade de chuva e nem o tempo que voa
Pois o resultado do amor é feito o brilho das estrelas
Na pele umedecida do suor do seu rosto.
Contrastado com o por do sol
Próximo ao último adeus.
Se prometendo a felicidade do nascer de um novo sol.

Escrito em 28 de agosto de 2012, por Orlando Oliveira.


 LANDO, EUGÊNIA E ARTUR








Comentários

01/09/2012 10:25 - Gilvania do Monte
Lindo demais, abraços...!

30/08/2012 10:24 - Oliveira Rosa
BOM DIA!......ROMANTISMO E SENSIBILIDADE EM BELOS VERSOS, PARABÉNS!..OBRIGADA PELA INTERAÇÃO NO POETRIX(NUA) JÁ ESTA POSTADO....UM FORTE ABRAÇO.

29/08/2012 13:37 - edna fialho
Talento, sensibilidade e palavras tecidas com carinho e suavidade. Parabéns!

28/08/2012 19:15 - Cecília Blue
Sua poesia é suave, romântica, e verdadeira. Apreciei-a bastante. Parabéns! Boa noite, abraços.

28/08/2012 19:13 - PauloRobertus
Parabéns pelo talento, bela poesia, obra valorosa.Meu recanto te aguarda, explore-o como achar melhor, a casa é sua, faça de le seu cantinho.Grde abraço.