BANDA PELO MENOS

domingo, 11 de dezembro de 2011

BANDA PELO MENOS





Hoje me senti assim
Meu pensamento voou
O coração disparou
De rever momentos felizes
O meu amor é uma estrela no céu
O teu olhar é uma gota de mel
Teu sorriso é o café da manhã
Teu suor tem gosto de hortelã
Teus beijos sabor de pecado
Misturado à brisa do mar
Para mim isso é felicidade
Que sempre me levou a amar.
Escrito em 26 de março de 2012, por Orlando Oliveira.

2 comentários:

orlando disse...

Rutilar!
Faz-se o silêncio!
Do mais feroz tormento
A luz, a chuva, o vento.
Lábios ingênuos e puros, das cinzas em que arda, a voz ativa,
clamando a sua grandeza de espírito.

Cariciosa e lenta à noite
Aqui estou eu outra vez
Com toda força de instinto indomável
Sempre em busca de luz.

Sou invencível, sou muralha, sou madrugada
Que não preciso chorar
Ao findar de uma paixão
Que acabou de acabar.

Disperto do último sono
Onde desnuda no silêncio
Pois o sol inflama e semeia
A que estão sempre a brilhar.

Escrito em 23 de abril de 2011, por Orlando Oliveira.
http://www.recantodasletras.com.br/poesias/2925386

orlando disse...

Ausência de respostas!

Como um torpor
Enxada ao ombro.
Invisível na mansidão da terra
Irá pra onde irei
Inútil insistência, mas tão facilmente pra satisfazer
Enquando tenho fome e sede!
Das delícias do obscuro
Conta-me teus segredos
Por onde andas?
Com quem andas?
Por que demoras?
Em silêncio vem a tempestade
A esperança e a saudade que açola
Só me encontro comigo
Sempre quando estou em silêncio
Penço nos poucos beijos que te peço
Ai! adormeço primeiro.
Eu! Só!
Escrito em 22 de abril de 2011, por Orlando Oliveira.

http://www.recantodasletras.com.br/poesias/2925162

Postar um comentário