BANDA PELO MENOS

domingo, 11 de dezembro de 2011

SILÊNCIO

 NA FOTO EUGÊNIA, LANDO E SUELY

SILÊNCIO

O poeta corre
O poeta foge
Foge das balas perdidas
Corre da violência
Mas sempre é alcançado
Alcançado pelo destino.
Tentam calar
Tentam sua prisão
Não sabendo que já é prisioneiro
Prisioneiro do seu silêncio
Prisioneiro dos seus testemunhos
Do funcionamento do seu cérebro
De suas andanças
Onde enxerga através dos quadrinhos
Quadrinhos do amor que não viveu
O contraste do amor, de amar e ser amado
De como seria, ai como queria, ai como queria.
No alto da imaginação, a paz tão sonhada que não vem junto com a felicidade, nem a paz, nem a felicidade
Só frustração e desejos
Pois no auge do seu retiro sua sede e fome ainda se faz presente no silêncio de sua cela.
Escrito em 02 de dezembro de 2011, por Orlando Oliveira
http://www.recantodasletras.com.br/poesias/3368988

DINOVO EDNA, EUGÊNIA E SUELY


NA FOTO CESAR

 NA FOTO EDNA,EUGÊNIA E SUELY

Comentários recebidos pelos poetas e poetisa do Recanto das Letras
 
16/03/2012 10:52 - Marta Cavalcante Paes Lima
Orlando amigo da poesia, encantador, verdadeiro, com um expressar cheio de sensibilidade e emoção. O silêncio do poeta grita em forma de poesia. Beijos no coração
 
18/02/2012 22:30 - Luciane Mari Deschamps
O pensamento do poeta é tudo isso sim e, ao criar seus poemas, torna-se prisioneiro da poesia que se encontra em tudo que há. Lindo texto.
 
05/12/2011 22:31 - verita
Boa Noite Orlando,um poetar instigante, intenso, sentimentos retratados de formas cristalina,parabéns, beijokas de boa noite
 
05/12/2011 13:48 - ELIENE ALVES [não autenticado]
CARO POETA. inteligentemente escritos e emocionalmente vividos, seus textos tem a sensibilidade da alma do SER. parabéns e obrigada pela visita.
 
05/12/2011 12:45 - Lisa chable
lindo parabéns !
 
04/12/2011 20:38 - Stella Bernardes
O silêncio que proseia : Rimas e Versos..!Obrigada pela visita, poeta....Beijinho..=)
 
04/12/2011 13:56 - Stéla Lúcia
Estou te aplaudindo de pé, retratas com exelencia a alma de muitos de nós.Luz e Paz
 
03/12/2011 12:34 - leudinha
Obrigada pela visita, caro poeta, fico feliz de ler suas escritas tambem! otimo fds... Abraços!
 
03/12/2011 00:36 - Ana Stoppa
Caropoeta, bom dial. Divago em teu poema. Ah se não fosse a poesia, que suporta a agonia e o pranto em silêncio. Se não fossem os versos este mundo perverso sequer colorido teria. Se não fosse a inspiração a que Deus nos empresta, o que diríamos...Nada. Adorei te ler! Muitíssimo grata por sua visita. Tem ciranda no meu cantinho, venha participar! bjs Ana Stoppa.
 
02/12/2011 20:56 - Oliveira Rosa
Boa noite poeta! E nesse seu silêncio tu falastes muito em versos, aplausos muitos a ti...abraços
 
02/12/2011 20:42 - Tony Bahia
Interessante seu texto, poeta....



Nenhum comentário:

Postar um comentário