BANDA PELO MENOS

domingo, 11 de dezembro de 2011

Supressas de amor!

Era mais ou menos dezoito horas quando resolvi por em prática mais uma ideia, fui ao supermercado e comprei uma bela cesta de frutas, bebidas finas e presentes.

Passei no fim do turno para pegar minha namorada no trabalho, eu, cheio de romantismo e supresas. Tinha em mente levá-la a um lugar totalmente diferente. Já era mais ou menos vinte horas, a lua estava do nosso lado, linda, brilhante e apropriada para tal finalidade.

Entre as supresas havia um anel de ouro que pretendia presentear.
Foi providenciada, uma fita k7 com músicas românticas. Já no carro se ouvia as tais músicas e o destino seria uma montanha de uma cidadezinha do interior, pois lá do alto dava pra ver toda cidade com suas luzes acesas.

Havia algumas cabeças de gado nas proximidades que não seria problema. Um tapete seria forrado ao chão, as frutas e os petiscos juntamente com uma tábua de frios, duas taças de champanhe e muito amor pra dar.

Ao sair do trabalho e já dentro do carro, houve um mal entendido, entre eu e ela e o clima foi embora, passei em sua casa e a deixei.
Saí sem destino, com todo aparato romântico, um verdadeiro kit de romantismo.
O destino, é claro! Foi outro, mas o pensamento de realizar essa sonho romântico ainda existe.
Passou um tempo e consegui contar tudo que pretendia fazer naquele dia, ela se desculpou falando que tivera um dia  muito puxado e que estava muito cansada.
A supressa não aconteceu, o presente acabou sendo dado de outra forma, mas sempre com um toque de romantismo dessa vez dentro de uma taça de vinho. 
Deixe o romantismo aflorar e aproveite o momento, pois o mundo precisa de mais homens e mulheres românticos, para que a paz se faça presente.
Certo dia fomos a tal lugar e realmente fora um momento mágico mas sem tanto aparato ou kit de amor, mas o amor se fez presente.

Escrito por Orlando Oliveira em 10 de novembro de 2011
http://www.recantodasletras.com.br/contos/3328557


Nenhum comentário:

Postar um comentário