BANDA PELO MENOS

sábado, 21 de janeiro de 2012




PALCO DE EXPRESSÃO

Transformo em palavras toda tradução do sentimento
Idéias que nascem, fazem ferver o cérebro
Jamais simplório...
Amantes das tintas nas telas
Sou telúrico, de onde vim e pra onde vou.
Onde tem constante força a me atrair
Luto e reluto ao seu encontro.
Enquanto eu puder evitar
Agarro-me nas minhas expressões,
Nas minhas escritas, sempre do fundo do coração.
Encontro-me em metamorfose, aberto ao novo.
Ao meu grande amor dedico minha poesia
Sempre carregando de mãos dadas os amigos
Aos quais me fazem deitar em pastagens relvosas
Sem os quais não desfrutaria do descanso regado
Carrego na essência do amor, a meditação do conflito e
a paz, onde sempre sou da verdade e dos menos favorecidos.
Tento através das letras e frases expor meus sentimentos
De artista e visionário de uma obra que reluta em nascer ou crescer, mas a idéia da semente foi plantada e que pelo menos vou deixar como órgão doado.
Que se faça vossa morada a desse poeta ó Deus, para que quando  em sua casa eu estiver já não estranhe, pois aqui já é corriqueira a sua presença, Senhor.

Escrito em 20 de janeiro de 2012, por Orlando Oliveira.



http://www.recantodasletras.com.br/poesias/3452287

Nenhum comentário:

Postar um comentário