BANDA PELO MENOS

sábado, 1 de setembro de 2012

UMA LAGRIMA

UMA LAGRIMA

Agora minha lagrima cai
Depois da flechada certeira
Do sol que não pude ver
Do meu desejo de acordar
Estava ocupado, chorando
Lançando minha louca sorte
Sem explicação, sem limites para parar
Apagou o brilho do sorriso de uma criança
O símbolo da mais pura inocência
Agora minha lagrima cai
Do amor que não tive
Das recordações de momentos mágicos
Em mundos diferentes desse
Ou minha existência fora esquecida
Do café frio
Do carinho que não deu
Da palavra ciúmes
Ou o medo de não te ter
Ou o medo de te perder
Hoje minha lagrima cai
Sem explicação
Ela cai, resisto de mãos atada
Mas tudo é falta
Esperando que alguém a enxugue
Evitando que a mesma encontre a terra
Pois chorar é um dos estágios do sofrimento
Hoje estou sofrendo e é por isso que minha lagrima cai.
Mais você que tem o beijo desejado
Tem o sorriso amado
Que conhece todos os meus desejos
Que faz o tempo parar
Que dedicas tudo de bom para mim
Você me der à mão, me tire dessa lagoa formada de lagrima.
Pois hoje minhas lagrimas caem.
Escrito em 01 de setembro de 2012, por Orlando Oliveira.


   http://www.recantodasletras.com.br/poesiasdetristeza/3861058












Um comentário:

orlando disse...

MUDANÇAS!

O mundo estar mudando seus conceitos muito rápidos e nessa mudança está deixando de lado o real sentimento do amor.

Escrito em 16 de maio de 2011, por Orlando Oliveira

Postar um comentário