BANDA PELO MENOS

domingo, 10 de fevereiro de 2013

ONDE NASCEU A BELEZA?

ONDE NASCEU A BELEZA?

Segundo Jorge de Altinho e cantada
por Luiz Gonzaga, a beleza nasceu 
nas margens do São Francisco. 
Beleza essa que cantamos anos a anos 
e que cresce em todos nós o orgulho 
de ser nordestino. Mas até quando 
poderemos cantar as belezas do velho Chico? Assistimos dia a dia a morte do rio, 
pedindo socorro, gritando com suas 
mansas ondas, se afogando em bancos 
de areias, desnudando de suas águas. 
Enfrentamos essa realidade onde as 
belezas de suas margens Já não são mais 
aquela dos versos de Petrolina... 
Porem a beleza nasce todas as manhãs 
ao abrimos os olhos em frente às 
margens do Velho Chico. 

As fronteiras das invasões que fazem 
a diferença com a beleza natural da vida 
do velho Chico e de toda sobrevivência 
dos ribeirinhos, sendo esses fertilizantes 
dessa terra, adubo da liberdade e igualdade social. 

Por favor, salvem o Rio São Francisco... 
Existem varias ondas da beleza no Velho Chico. 
A beleza natural o próprio rio e a beleza 
artificial que é sua transposição sem 
planejamentos, sem idéias sustentáveis transformando alegoria de curto tempo  
que com a chuva sua fantasia se desfaz 
feito papel crepom.  
Outra a beleza da mulher, mãe que 
alimenta seus filhos feitos os peixes que 
alimentam os pescadores e aventureiros do 
Velho Chico. Uma vez bela sempre bela será? 
Ai meu belo Chico, das águas verdejantes, 
corrente cristalinas. Onde nasceu a beleza?  
Dentro da barriga de minha mãe afirma 
minha preciosa e amante rainha, linda a 
mais bela das belas de todas as belas. 
Luma de Oliveira minha filha. 

Até quando desfrutaremos da beleza do 
Velho Chico? Onde nasceu a beleza?  
A beleza nasceu dentro de mim e de você 
meu amigo de coração bom, que se 
preocupa com essa fonte de vida. 

Como evitar a morte do nosso Chico? 
Há que defenda a construção de uma 
represa na sua foz, sendo ela controlada 
pelas mãos dos homes e possibilitando 
sua transposição para levar água a quem 
dela precisar. Resta a poesia que muito 
ajuda a superar a dor de ver de pertinho 
a morte da fonte de vida e sobrevivência 
de muitas comunidades nativas que de 
mãos atada se rende perante os homens 
de poder. 
Resta a revolta da natureza que segue 
castigando como culpados os ribeirinhos 
e acusado de afogar seu próprio rio, retirando 
suas águas anunciando sua morte manuseada... Resta à missão do poeta que é gritar 
através de sua poesia seu pensamento e 
mostrar os homens de sensibilidade e desprendimentos o real problema e 
catástrofe futura da morte anunciada 
do Rio são Francisco. 
Que a esperança seja o elo forte 
para que dela agarre a nossa luta e 
que jamais sejamos vencidos pelo 
desgaste ou cansaço e que continuemos 
lutando contra a morte do Rio São Francisco... 

Depois da obra pronta a contemplação,
 a admiração e o sorriso ou choro de 
muitos por não ser ouvidos nem 
entendidos que o muito é pouco 
 para a divisão do corpo e da alma,
como Salomão assim o fez.  
Chegou o fim de mais uma poesia que 
vem em forma de suplica gritante de 
pedir socorro para que possamos viver 
em perfeita harmonia com o Velho Chico...  

O Rio São Francisco. Salve o Velho Chico, 
salve a humanidade que depende do rio 
para a sua sobrevivência, para sua própria existência. Onde nasceu a beleza?  
Nasceu dos corações dos homens de 
bem com a vida e com o banhar nas 
águas do Velho Chico onde se renova se 
vitaliza com tanta beleza. "Onde nasceu a 
beleza que foi abençoada por Deus com 
suas mãos divina? 
Nas margens do São Francisco “... 
Escrito em 06 de fevereiro de 2013, por Orlando Oliveira.


 O TOURO E A SUCURY, NA FOTO EUGÊNIA, LANDO, LUMA TIO LENO E WELLINGTON.
 ONDE NASCE O RIO SÃO FRANCISCO
 DEPOIS DA UZINA DE XINGÓ
 LUMA
 FONTE DE VIDA
 GALERIA DA UZINA DE PAULO AFONÇO
 TIA ZEZA, WELLINGTON, LUMA E LANDO
 LANDINHO
 LANDO
LANDINHO

Comentários

10/02/2013 11:55 - Jacó Filho
Todo cuidado é pouco com este presente divino ameaçado por mentes duvidosas e intenções brocas... Excelente, histórica e importante seu trabalho mestre... Parabéns! E que Deus nos abençoe e nos ilumine... Sempre...
 


09/02/2013 13:27 - meriam lazaro
Salvemos o rio que herdou o nome do ecologista primeiro, Santo protetor da natureza. Muito bonito e tristemente verdadeiro o seu relato sobre o Chico. Abraço, Meriam.

08/02/2013 00:11 - poeta José
Poeta parabéns pelo belo trabalho...Tudo que tu escreve transborda em emoção...Parabéns poeta...Vê se aparece irmão poeta...Um abraço amigo...

07/02/2013 23:05 - Marta Cavalcante Paes
Amigo da poesia Orlando sua sensibilidade poética aflora inspirações belíssimas. seu texto ficou muito criativo. Parabéns pela inspiração, uma maravilhosa construção poética. Abraços

07/02/2013 19:07 - zemary
lindíssima metáfora beleza/rio.

07/02/2013 04:01 - MVA
Bonito texto!

06/02/2013 15:06 - jcoelho
Parabéns amigo, belo texto, um forte abraço.



Nenhum comentário:

Postar um comentário