BANDA PELO MENOS

domingo, 14 de junho de 2015

EUTANÁSIA


 

EUTANÁSIA

Morreu de forma serena;
Apesar da dor no peito.
Já demostrava vontade de ir...
Mas não a coragem.
Sofreu, sentiu frio e caminhou na chuva.
Só! Nunca esteve.
Deus se fez presente.
Morreu sem direito a ressuscitar;
Adormeceu e se rendeu ao cansaço.
Tomou folego, caminhou e sonhou...
Alimentou–se de pensamentos!
Questionou os porquês da vida...
Mas a conta não era alta e nem o pobre devia.
Sem amparo legal, abreviaram seus sentimentos.
Digo legal, por não ter vestígio da eutanásia.
Viu seu velório nos rostos triste de alguns
Na vigia do corpo presente,
Na maratona da noite. Apenas ele,
Seus argumentos insólitos, somente um a beber.
Mais uma vez o cansaço lhe venceu
Caminhou só até a sua sepultura
E finalmente descansou,
depois de um verdadeiro banho de luar.



Escrito por Orlando Oliveira em 10 de junho de 2015.
ORLANDO DA BANDA PELO MENOS
Enviado por ORLANDO DA BANDA PELO MENOS em 10/06/2015
Reeditado em 11/06/2015
Código do texto: T5272941
Classificação de conteúdo: seguro



Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.
 Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja
dado crédito ao autor original (Endereço da obra Recanto das
Letras de Orlando Oliveira.). Você não pode fazer uso comercial
desta obra. Você não pode criar obras derivadas.






Enviar por e-mail
Denunciar


Comentários

13/06/2015 23:37 - CONCEIÇÃO GOMES
A unica certeza de nossa vida.Um dia ela chega e
nada podemos fazer.
 

13/06/2015 16:10 - Edimilson Celson
Versos profundos... Bravo!!!
 

13/06/2015 10:35 - jcoelho
Linda poesia, parabéns,um grande abraço.
 

12/06/2015 18:28 - ELIE MATHIAS
Magnífica inspiração Orlando. Um abraço amigo.
 

12/06/2015 15:05 - DOCE VAL
Caro Orlando, o final tristonho, mas,
muitas vezes nescessário para aliviar
as muitas dores não só do corpo,
como também do espirito que deseja descansar.
Uma forma bondosa de se chegar aos pés do Pai.
''Digo isto por conta do que houve na familia,
onde uma pessoa estava com cancer terminal,
sentindo dores teriveis e os medicos chamaram
os parentes para abreviar este sofrimento e
foi aceito por todos''Beijos no coração ,paz e luz!
 

12/06/2015 01:24 - Madalena de Jesus
UM TEMA QUE IMPRESSIONA.
UM POEMA QUE ENVOLVE.
MEUS PARABÉNS!


Sobre o autor
ORLANDO DA BANDA PELO MENOS
Aracaju - Sergipe - Brasil, 53 anos
756 textos (23004 leituras)
4 áudios (116 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente -
última atualização em 14/06/15 04:41)
ORLANDO DA BANDA PELO MENOS
 

HUMILHADO

Humilhado logo na chegada
Por quem lhe tinha prestigio
Suportou a dor em prol de todos.
 

 

Crucificado, rebaixado e inocente;
Com sua cruz a carregar
Perdoa sem ser perdoado.
 
    LANDO AINDA FELIZ
 
   Mostrou como se deve remitir
   Para que venha a ressurreição.
 
LANDINHO NA PRAIA DA BARRA

   FUTURO!

   Seja bem vindo futuro
   Admirando o passado ainda estou;
   Desejando nesse presente,
   Estar à frente de tua face.
 

 
  Meu AMIGO CLÍCIO
 
   Interpretando os olhares!
   Indultando e libertando o amor;
   Para toda benevolência existente.
   Seja bem vindo futuro!
 
     Tardizinha em Jatiuca
 
    Sinto-me anseio com vossa promessa.
   Antes mesmo que tu venhas;
   Eternizarei minhas convicções intimas
   Com o sabor do mel das bocas.
   Bocas que se osculam.
 
    Jatiuca a noite
 
     Venha trazendo esperança viva.
     Venha seu futuro;
     Se faça presente e maduro;
     Nesse mar de ventura.
 
     Foto da Prais da Jatiuca Maceió- Al
 
    Faça bater minhas asas;
    Despindo meu corpo;
    De todo peso imaginário.
    Seja bem vindo futuro.
    Para quem eu mais amo.
    Presentear benevolência.
   
   Na foto Landinho, Eugênia e Lando

    RABISCOS

    Meus rabiscos incomuns
    Incompletos vigorosos
    Decifrados e implícitos
    Expresso a declarar.
    
    Praia da Barra de São Miguel dos Campos Al
 
 
     Rabisco de fim de feira
     Patente à interrogação
     Feito versos de poeta
     Nas asas da solidão.

 
 

Um comentário:

orlando disse...

DIA DA POESIA

Os poetas e poetisa nem sabiam;
Era o início de uma nova inclinação;
Desvelar seus corações aos julgamentos;
Sem se importar com sentença ou proposição;
Seu sentimento era registrar;
O que um dia se chamou de poesia.

Parabéns a todos os poetas e poetisas do Recanto das Letras.

Escrito por Orlando Oliveira em 15 de março de 2015

Postar um comentário